segunda-feira, 12 de julho de 2010

A Trajetória de um vencedor

Texto: II Reis 5. 1-13.
Introdução.

Vemos a história de um homem que podia dizer que tinha de tudo; prestigio dinheiro, fama, e tudo que uma pessoa normal sonharia em ter. Era herói de guerra, sua farda estava cheia de condecorações por seus atos de bravura, seu nome ocupava as manchetes de todos os jornais da época. Talvez somente com essas informações já fosse suficiente para entender a quantidade de barreiras e preconceitos que esse homem teve que enfrentar para chegar aonde chegou. Porém era leproso, um grande sucesso para o público, e um imenso fracasso pessoal.

Agora o que é essa doença?

A lepra é uma doença transmissível causada por uma bactéria, afeta na maioria dos casos a pele e os nervos. Ela progride lentamente com uma média de um período de incubação de 3 anos. A principal característica de alguém que possui essa doença é a perda da sensibilidade ao calor, e muitas vezes a mutilação de partes do corpo. Hoje existem remédios que podem trazer a cura desde que diagnosticada em seu começo.

Agora, trazemos essa doença para o âmbito espiritual.

Naamã é a simbologia do estado espiritual de muitos crentes. No mundo espiritual a lepra representa o pecado. Assim como a doença física causa a morte, o pecado causa a morte espiritual que futuramente leva a morte física.

Vamos analisar os sintomas da lepra e preste atenção se você ou alguém que você conhece não está com os mesmos sintomas de lepra.

1. Perda da sensibilidade ao calor. Não sente mais a presença de Deus, o fogo e a paixão de Deus não ardem mais. Por mais que Deus faça, não sentimos mais nada, tornamos insensíveis. (Ex. 32.7-11)

2. Manchas no corpo. O pecado já esta tão impregnada na pele, aquilo que alguns anos atrás eram abomináveis para nós, hoje se tornou coisa normal do mundo. (Ez. 43.8)

3. Torna-se uma doença transmissível. Já estamos tão insensíveis para as coisas de Deus, que a única que nos resta a fazer e transmitir meu veneno a outras pessoas. (Rm. 12.5-5)

4. Mutilação das partes importantes do corpo. Quando tornamos insensíveis e contagiosos, vemos que parte do corpo de Cristo começa a ser afetada por nossa causa. (I Co. 12.12-27)


Vamos para a história, um rei assírio conquistou a Síria, que tinha se rebelado recentemente, tendo se tornado independente. Foi nessa guerra que Naamã se destacou, e o Senhor deu, através dele, libertação à Síria e não a Israel.

Quando as tropas da Síria saíram das terras de Israel levaram presa uma menina, certamente ela conhecia o profeta Eliseu. Ela tinha fé em Eliseu e em seu Deus, pois ouvira sobre os maravilhosos milagres realizados tanto por Elias quanto por Eliseu.

Essa menina diz a sua senhora: Tomará que meu senhor estivesse diante do profeta que esta em Samaria; ele o restauraria da sua lepra.

Certamente entrou alegria no coração daquela senhora, ao ouvir as palavras daquela menina, que notificou a Naamã.

Naamã, general de guerra, levou este episodia ao Rei da Síria que envia uma carta ao Rei de Israel. Esse foi um pedido estranho. O Rei de Israel era um homem incrédulo, que não tinha poder sobre a lepra, assim como o Rei da Síria ou Naamã. Não seria de espantar que ele pensasse que os sírios estivessem procurando provocar a guerra contra Israel.

Foi importante que Eliseu estivesse em Samaria e tivesse ouvido falar do pedido, pois o rei poderia ter feito algo para provocar guerra contra a Síria. O profeta pediu a Naamã que viesse a ele, que lhe mostraria que havia Deus em Israel.

Quando Naamã veio com seus cavalos e o carro, permaneceu a porta da casa de Eliseu. O profeta, porém, não mostrou a cortesia de convidá-lo para entrar ou de ir ao seu encontro. Ele somente enviou um mensageiro para dizer a Naamã que ele deveria ir e se lavar no rio Jordão sete vezes, para que sua carne fosse curada e ele ficasse purificado.

Naamã se indignou dizendo:

1. Eu pensei que ele viria a mim.

2. Pensei que ele se colocaria de pé e invocaria o nome de Jeová, seu Deus.

3. Pensei que ele passaria a mão sobre o meu corpo e me curaria.

4. Não são Abana e Farpar rios de Damasco, melhores do que todas as águas de Israel?

5. Eu não poderia me lavar neles e ficar purificados?

Essa foi à ideia de Naamã. Ele pensou que era um homem tão importante que seria uma honra para o profeta vir a ele, colocar as mãos sobre o seu corpo e orar. Mas Eliseu pensava diferente dele, sendo dirigido por Deus ao tomar uma decisão.

O Senhor não somente desejava que Naamã aprendesse a lição com humildade e obediência. Ele quer que homens de todas as épocas aprendam que Deus não honra grandeza humana e que seus pensamentos não são os nossos pensamentos e seus caminhos não são os nossos caminhos. (Is. 55.8-9)

Como acreditava ser essa cura o trabalho de um homem, tudo que Naamã pensava era pagar um grande preço por ela. Levava consigo ouro e prata e além de dez muda de roupas, com o objetivo de pagar a “receita médica”. Mas parecia que ele não podia ver o “médico”, muito menos ser curado. E ele não teria sido curado se não fosse pelo senso comum dos seus servos, que arrazoaram com ele para seguir a instrução do profeta.

E voltou-se com muita indignação. O que é indignação – Cólera que é excitada por injustiça. Chema no Hebraico – raiva; grande desgosto; estar furioso; enfurecido, envenenado. Observe o melhor julgamento dos servos de Naamã. Ele estava tão furioso que poderia ter começado uma guerra contra Israel. O rei de Israel não tinha feito nada por ele, e agora o profeta não havia mostrado a cortesia de pelo menos vir ao seu encontro, ou mesmo dizer-lhe pessoalmente o que fazer. Os procedimentos eram tratados apenas com o servo do profeta. Com grande esperança no princípio, ele estava pronto a tornar rico o homem que pudesse curá-lo. Contudo, depois de receber esse tipo de receita, ele teve um acesso de raiva. Esse tratamento era muito para o seu orgulho. Seus servos simplesmente lhe mostraram que, se o profeta tivesse dito para fazer uma grande coisa, certamente ele a teria feito sem maiores problemas. Portanto, seria muito mais fácil banhar-se no rio Jordão por sete vezes e purificar. Tal arrazoamento pacificou o capitão e ele decidiu seguir as sugestões. Na viagem de volta, ele teria que cruzar o rio Jordão, de qualquer maneira. Então concordou em se banhar sete vezes, Assim foi curado, tornando sua pele como a de criança.

Nesta noite fiz um breve resumo da história de Naamã, para mostrar a trajetória de um vencedor e quais as sete situações de um homem em busca da vitória.

1. Posição em que se encontra o homem natural.

II Reis 5.1 – Um homem de alta posição – porém doente

a) estamos sujeitos às enfermidades, não importar o grau ou a posição que exercemos;

b) a doença nos humilha;

c) espinho na carne. Paulo (II Cor 12.6)

As enfermidades assolam a todos nós indistintamente, quero mencionar as qualidades e caráter de Naamã: tinha uma posição profissional privilegiada, status, era “grande”, chefe, porém era leproso. Não estamos livres das doenças apesar dos recursos que temos para evitá-las ou combatê-las. A doença trás tristeza, angústia, dor, aflição, desconforto, problemas familiares, falta de união, separação da sociedade. Em muitos casos somos difamados por estarmos doentes, exemplo de Jó que no decorrer da sua enfermidade foi abandonado pelos seus amigos, que diziam estar ele em pecado, inclusive até o respeito dos mais jovens ele perdeu, além disso, as enfermidades podem destruir todo o patrimônio de uma família.

Porém às vezes uma determinada doença está em nós para a gloria de Deus, observar o que aconteceu com o apostolo Paulo, outras vez, é o resultado das consequências do pecado que está em nós. No caso de Naamã, foi para que ele soubesse que em Israel havia um Deus piedoso e misericordioso que se preocupava também com a sua alma.

2. O homem sendo alcançado pela evangelização.

II Reis 5:02 e 03 – Menina israelita – a escrava.

a) longe da família;

b) escutou Naamã reclamar;

c) pregou a cura.

Esta menina era escrava e estava a serviço na casa de Naamã, ela tinha vindo da terra de Samaria, estava muito longe da sua família e era uma jovem evangelizadora, ouvia a voz de Deus, cheia do Espírito Santo. Atenta a tudo que acontecia ao seu lado e escutou que seu senhor reclamava para esposa da enfermidade, sensibilizado pela enfermidade foi até a senhora e assim falou que na terra de Samaria tinha a cura para a enfermidade de Naamã, ela cria no seu Deus e na cura divina.

Vemos neste trecho do texto bíblico que aquela menina não se importou com a sua situação, mesmo sabendo que era escrava naquele lugar, não hesitou em fazer o papel de missionária naquele lugar de escravidão, não havia se conformado com a situação que estava passando Naamã, seu patrão. Devemos também estar atentos a tudo o que acontece ao nosso lado, para não perdermos as oportunidades que poderão estar aparecendo em nosso ministério. Os planos de Deus não são os nossos planos, às vezes o Senhor nos leva para determinados lugares que não estavam no nosso plano de ir, porém Ele nos prospera em terras distantes e estranhas.

Aprendemos com esta mensagem que quando damos o endereço completo da benção para as pessoas, elas encontrarem o caminho mais rápido, em atos 5.20 diz que: “a nossa mensagem do evangelho deve ser pregada de maneira completa”, no caso desta menina, Naamã primeiro teve que passar pelo rei de Samaria (capital de Israel) para depois ser informado que quem iria solucionar o seu problema era o profeta Eliseu.

3. O homem recebendo o apoio da família.

II Reis 5. 4 – O amor da esposa pelo seu esposo.

a) falou com Naamã;

b) queria ver o seu esposo liberto;

c) família unida.

A esposa de Naamã ao receber a informação que em Samaria teria a cura para o marido, imediatamente deu crédito a aquela pregação, como amava muito o seu esposo foi e lhe transmitiu a mensagem, pois queria ver o seu esposo curado, só isto lhe faltava para aquele lar ser completo.

O amor que há entre os membros de uma família é que gera a união, a cura, e as bênçãos.

4. O homem submisso ao seu superior.

II Reis 5.5 – Submissão ao seu superior.

a) foi pedir permissão ao rei da Síria;

b) ser submisso ás autoridades;

c) teve conhecimento que em Israel havia um profeta.

Naamã ao decidir que precisava ir atrás da cura poderia na empolgação ter ido direto a terra de Samaria, mas nos diz o trecho bíblico que primeiramente ele foi pedir carta de autorização ao seu rei. Para sermos vitoriosos em nossas ações temos que primeiramente ser obediência, ser submisso as nossas autoridades, em todos os nossos empreendimentos devemos seguir a submissão, sempre respeitando os que estão exercendo funções acima da nossa, a bíblia fala que devemos ser submissos a todas as autoridades. “Vós, servos, obedecei em tudo a vossos senhores segundo a carne, não servindo somente à vista como para agradar aos homens, mas em singeleza de coração, temendo ao Senhor” (Colossenses 3.22).

Foi para a cidade de Samaria que estava em Israel atrás de um profeta, logo após tomar conhecimento que ali estava a sua cura. Neste caso vemos uma indicação da menina escrava ao Chefe do Exército da Síria, que aquele seria o caminho certo para a cura, porém, nem sempre procurar um profeta é o correto, porque muitos se dizem serem profetas e não são, sem direção nenhuma de Deus, profetisa na carne trazendo informações que não são verídicas aos que vão consultá-los, isto pode trazer sérios transtornos na vida de uma pessoa. Quando precisamos ouvir Deus falar conosco o melhor caminho é orar e Ele enviará o profeta até onde estamos.

5. O homem com objetivos sólidos e metas alcançáveis.

II Reis 5.6 a 10 – Foi ao encontro da cura.

a) andou longe;

b) se humilhou diante do adversário;

c) sabia que em Samaria seria curado;

d) Problema de comunicação com Israel.

O objetivo principal de Naamã era ser curado, e o nosso qual é? Quando apresentamos diante de Deus alguma necessidade temos que assumir aquilo como objetivo ou meta que queremos alcançar, ainda que precisassem pagar um preço caro, porém, se isto vai trazer um retorno bom compensará o esforço. agora temos que observar que nem sempre o que queremos esta debaixo da vontade de Deus.

Exemplo disso somos nós começarmos a nos consagrar e pedir para Deus para ser rico ou ter uma Ferrari, temos que ter metas e objetivos alcançáveis, e foi exatamente isto que Naamã fez, sabia que teria que pagar um alto preço: pedir autorização ao rei da Síria, percorrer uma distância muito longa e depois se humilhar diante do rei de Samaria que era o seu adversário, ele sabia que o seu objetivo poderia ser alcançado.

6. O homem que queria do jeito dele.

II Reis 5.11 a 13 – Queria ser curado do jeito dele.

a) Achou que Eliseu o receberia com honras;

b) Decepção no rio Jordão;

c) Estava indo embora.

Eliseu era aquele homem que havia pedido para Elias a porção dobrada do seu espírito e neste tempo ele morava em Samaria cidade de Israel, era um grande profeta de Deus, que falava somente o que o Senhor lhe havia determinado para falar.

Naamã ao ser encaminhado até a casa do profeta achou que Eliseu o receberia com honras, porém o profeta de Deus deixou de lado toda esta burocracia e fez o que era correto naquele momento. Determinou ao seu moço Geazi que dissesse a ele para ir até o rio Jordão e ali mergulhasse 7 vezes para ser limpo daquela lepra.

Muitas pessoas nos nossos dias procuram profetas querendo sempre ouvir uma palavra de consolo e conforto para os seus problemas, e o que observamos é que nem sempre a resposta que Deus dá ao seu servo através do profeta é como queríamos ouvir, Deus muitas vezes diz: Tenha paciência, espere mais um pouco, eu estou contigo, ainda este ano eu dou a sua benção, estou te provando ou ainda muitas vezes Deus permanece em silêncio e não fala nada. Quando Deus requer algo de nós e prontamente lhe fazemos a sua vontade, com certeza podemos esperar as bênçãos de Deus, porém quando fugimos do que Deus quer para nós ai a situação fica difícil.

Naamã ficou decepcionado com o que haveria de fazer, a ponto de querer voltar embora para a Síria, se assim fizesse voltaria com a sua lepra. Foi exatamente naquele mesmo lugar que os seus servos lhes disseram: Meu pai, se o profeta te houvesse indicado alguma coisa difícil, porventura não a terias cumprido? Quanto mais, dizendo-te ele: Lava-te, e ficarás purificado (II Reis 5.13). Foi necessário naquele momento uma mensagem de otimismo para que Naamã pudesse realmente dar ouvidos as palavras de Eliseu, assim também precisamos auxiliar todos aqueles que chegam a igreja, ouvem a palavra, as promessas de Deus e continuam desiludidas, desacreditadas, sem aquela confiança necessária para uma grande mudança em sua vida, é nessa hora que devemos entrar e incentivar estas pessoas a confiar, a perseverar, a não parar.

7. Pagou o preço e foi curado.

II Reis 5.14 – Após o 7º mergulho ficou curado.

a) depois de ter ouvido a menina;

b) andou muito longe;

c) se humilhou para o rei de Israel;

d) sentiu-se desprezado por Eliseu;

e) mergulhou no Jordão;

f) finalmente alcançou a cura, que era o seu grande objetivo.

Observamos nos itens acima que Naamã teve que realmente se esforçar para alcançar o seu objetivo.

O primeiro passo para a vitória foi ele ter que confiar no que a menina de Israel lhe havia falado, poderia ele pensar que seria até mesmo uma emboscada chegar sem mais nem menos nas terras de Israel por instrução de uma menina, não tinha telefone naquela época para ele confirmar se realmente este homem que havia em Israel iria curá-lo de sua enfermidade, ou se realmente ele existia.

O segundo passo foi à distância que percorrida, aproximadamente 200 km, desta a Síria até a terra de Israel, uma longa caminhada que não trouxe desânimo em Naamã, estava confiante que a cura seria instantânea. Levando em consideração a distância para os nossos dias e de aproximadamente 2h ou 02h30minh de carro, mas no tempo de Naamã, ele percorreu esta distância a cavalo, levou aproximadamente 4 a 5 dias.

O terceiro passo foi ter que encarar frente a frente o rei de Israel da época, pois eram inimigo de guerra, as duas nações haviam passado por guerras recentes, teve que se humilhar para poder conseguir a sua cura em terras estranhas.

O quarto passo para alcançar a cura foi suportar o desprezo de Eliseu, Naamã sendo um homem de alta posição gostava de receber honras dos povos, principalmente de pessoas estranhas. Quando Eliseu nem quis sequer falar com ele, se sentiu desprezado, humilhado, foi difícil para ele ter que confiar nas palavras de um servo naquele momento, se fosse o próprio profeta Eliseu talvez ele recebesse aquela mensagem de uma forma diferente.

O quinto passo foi obedecer às palavras de Eliseu ainda que parecesse a ele um absurdo, depois de passar por tantas dificuldades até chegar a Eliseu, pensou ele: “Porque não mergulhar no rio Jordão sete vezes e ver o resultado deste sacrifício”, e outra que ele não tinha escolha ou ia busca a sua benção ou morria, não tinha segundo termo. E foi isto o que ele fez após ser novamente aconselhado pelo seu servo, mergulhou as sete vezes nas águas sujas do Rio Jordão e quando saiu das águas notou que a sua lepra havia o deixado, estava limpo como a pele de uma criança.

Finalmente aquilo que Naamã foi buscar em Israel ele achou, a cura para a sua enfermidade, foi necessário pagar um preço, ele pagou e alcançou o seu objetivo. Muitas pessoas desanimam em busca de uma benção para a sua vida, e não conseguimos desfrutar do que precisamos, ainda que parecesse estar longe precisamos buscar a nossa benção, precisamos senti-la bem perto de nós e isto nos levará a ela.

Naamã teve que mergulhar 7 vezes no Rio Jordão para alcançar a sua cura, Josué deu 7 voltas em volta de Jericó no sétimo dia e as muralhas de Jericó caíram por terra, ele e o povo de Israel dominaram a cidade. Muitas igrejas evangélicas levam os seus membros a fazerem campanhas de 7 dias para alcançarem a vitória, isto tem total respaldo bíblico, apesar de que, em Deuteronômio 28.1 e 2, disse Moisés: “Se ouvires atentamente a voz do Senhor teu Deus, tendo cuidado de guardar todos os seus mandamentos que eu hoje te ordeno, o Senhor teu Deus te exaltará sobre todas as nações da terra; e todas estas bênçãos virão sobre ti e te alcançarão, se ouvires a voz do Senhor teu Deus”. Na tradução original a palavra “alcançarão” se traduz em atropelarão, logo então, entendo que todos os que ouvirem atentamente a voz do Senhor e as guardarem serão atropelados pelas bênçãos que estão mencionadas no capítulo 28.

As campanhas de 7 dias são instrumentos que Deus nos dá para que possamos através dela fortalecer e desenvolver a nossa fé e alcançarmos aquilo que precisamos. A bíblia nos diz que Jacó lutou com um anjo para conseguir a sua benção, e conseguiu, temos que insistir buscar, serem persistentes, corajosos para encontrarmos aquilo que precisamos.

2 comentários:

  1. Esse sermão ficou otimo presbitero Onesimo. Deus te abençoe!

    ResponderExcluir
  2. Muito bomb q o sennhor te guarde

    ResponderExcluir